sábado, 21 de novembro de 2009

Chindala

Para os que estão com saudades do Niassa

4 comentários:

  1. Como eu, por exemplo!
    Só não sei o que é ou onde é "Chindala"

    ResponderEliminar
  2. Era uma povoação que ficava no lago entre metangula e o cóbué. Tinha um posto com um polìcia e alguns cipaios que passavam a vida a ser atacados e nem sequer tinham munições.

    ResponderEliminar
  3. Se me permite vou fazer o meu comentário, fui militar do Batalhão de Caçadores 598, que fez sua comissão de serviço no distrito do Niassa - Moçambique. Pertenci ao pelotão de sapadores, fomos os pioneiros do Lunho, estivemos acampados
    no lunho nos primeiros três meses do ano de 1965, depois regressamos a Vila Cabral, onde estava o comando do batalhão, estivemos lá um dia e voltamos para Maniamba, onde permanecemos
    alguns dias não muitos, depois seguimos para Nova Coimbra, onde estivemos uns dois dias, depois fomos para o Cóbué, lá estivemos cerca de
    um mês, fizemos uma deslocação a Olivença, em apoio a um pelotão, que foi substituir o que já
    lá estava há cerca de três meses, sem ser abastecido por terra. O abastecimento fazia-se por via aérea, apenas de géneros alimentícios e
    tinham que ser muito bem embalados para que, ao caírem no solo não se danificarem. Quanto a líquidos nem vê-los. Depois do Cóbué, regressamos a Nova Coimbra,de onde seguimos para
    Metangula, até ao fim da comissão, Fevereiro de
    1966. Durante a minha permanência em Metangula e
    foram mais de seis meses, convivi com o pessoal da marinha, do qual tenho boas recordações. Algumas vezes o meu amigo Manuel que pertencia à
    marinha me convidou para ir almoçar ou jantar com ele, porque ele sabia que o rancho do exército não era de boa qualidade, como o da marinha. A todo o pessoal da marinha. Bem-haja.
    Saudações veteranas Eduardo.

    ResponderEliminar
  4. Eduardo tu tiveste alguma sorte em Metangula, pela amizade que criaste.
    Nós, do Exército, eramos uns pobres "enjeitados".

    ResponderEliminar