sábado, 12 de junho de 2010

NRP Mercurio P1135

3 comentários:

  1. Mais uma das nossas meninas e as águas limpídas do nosso Lago Niassa para nos abastecer com mais uma lufada de boas recordações dos nossos bons tempos de outrora.
    No meio de tantas injustiças, esta a devemos a ter havido uma guerra Colonial de contrário poderia nunca termos tido essa oportunidade.
    Foram tempos no tempo e temos e devemos recordar esses bons tempos daquele tempo e que hoje tanto nos liga na mesma paixão e amor.
    Um Abraço e a melhor sorte do Mundo para Moçambique e o seu Povo.
    Sendo felizes, também partilhmos dessa felicidade.
    Estou convicto que é o país que melhor caminha que as dificuldades e felicidades sejam partilhadas por todos.

    ResponderEliminar
  2. Que grande mudanca no visual do blogue Luis!
    Gosto porque o torna mais rico nas cores... Quase que me deixas ciumento, filho da escola.
    Pelos vistos estamos quase uns profissionais de se tirar o panama!Certo?
    Saude!

    ResponderEliminar
  3. O nosso grande problema é sempre o mesmo na minha modesta opinião! E a nossa História relata-nos factos que demonstram claramente o défice da falta de bons políticos na altura das grandes decisões... Em resultado dessas incompetências a partir de Lisboa, pagaram os portugueses pesadas facturas e uma das últimas foi mesmo a questão Colonial! A via pacífica seria uma saída inteligente e deveria haver o compromisso histórico entre as partes no sentido de se preparar no terreno uma transição que levaria alguns anos, com o fim de preparar os moçambicanos para a coisa pública e aqui aparecia a formação das forças armadas do novo país, com a nossa ajuda nos vários campos militares e aqui as lanchas de que fala o Valdemar e o Leiria, bem como os marinheiros teriam todo o cabimento de passarem pelo maravilhoso lago Niassa no sentido de preparar aquela gente a saber defender o seu território até às fronteiras estabelecidas!
    Seria tudo isto uma miragem, impossível de levar à prática?
    De facto os incompetentes da época, aliaram-se ainda à teimosia e deste caldinho só podia sair a burrice política, que deu numa guerra onde se perderam tantas vidas humanas, desbarataram-se energias sem proveito para ninguém, criaram-se ódios de parte a parte em vez de se criar consensos e no final de tanta desgraça, moçambicanos e portugueses estavam mais pobres e mais deprimidos... Por último deixamos tudo em estado de sítio, regressamos ao rectângulo Europeu e seguramente que não fizemos o papel de amigos de vários séculos, porque não é possível fazer amizades depois de semear a violência!
    É verdade, que se tem tentado atenuar os ódios nos últimos anos e esse é um bom caminho para os dois povos, mas podia ter-se evitado tanto disparate, para não lhe chamar outra coisa...
    A CONVERSAR É QUE NOS ENTENDEMOS!...
    PIKÓ

    ResponderEliminar